Translate

Pesquisar neste blog

Oficina de Criação Poética - Turmas em junho e julho!

         
         
                    Oficina de Criação Poética 
Para quem busca ampliar seus horizontes na poesia
  
Se você gosta de poesia e quer explorar essa linguagem, mostrar seus textos, discutir esse processo criativo, melhorar sua escrita e dialogar com um poeta experiente e reconhecido, corra para se inscrever na “Oficina de Criação Poética com Nicolas Behr” e leve de brinde um livro autografado pelo autor! 

Em parceria com o ateliê Ato Com Texto (blog atocomtexto.blogspot.com), o poeta –  conhecido por reconstruir e reinventar Brasília em seus versos – lança sua oficina na Capital Federal com turmas em junho e julho próximos (ver Box).

Durante a programação, Nicolas pretende analisar vários aspectos da produção criativa, visando à ampliação do universo poético dos participantes e o incentivo à produção literária própria. A oficina se propõe também debater o conceito de poesia, a partir do estímulo à criatividade em extrair o “poético” dos acontecimentos cotidianos.   

Na oficina, o participante poderá melhorar sua autoconfiança na escrita.  “Quero instigar, inquietar e compartilhar minha experiência com os escritores que estão iniciando sua trilha na poesia. Iremos ler e comentar as produções e também sugerir onde está a poesia, como ela pode surgir”, esclarece Behr. 

Quem não tiver disponibilidade para fazer os três dias de oficina poderá optar pelo evento “Uma tarde na casa do poeta” e ter um longo bate-papo com Nicolas Behr. Em clima intimista e acolhedor, o participante passará sua tarde de sábado saboreando poesia na residência do autor, cercada palmeiras, adornada de aquarelas nas paredes e com linda vista para o Lago Paranoá. 

Esperamos você! Reserve sua vaga pelo email sollpp@gmail.com Mais informações pelo telefone (61) 9961.6971 (vivo), com Solange Pereira Pinto.



 BOX 

Oficina de Criação Poética com Nicolas Behr

Benefícios: Desenvolver a autoconfiança na escrita poética, dialogar com um poeta experiente e reconhecido, e, ainda, ganhar um livro autografado pelo autor!

 Junho/2013:
Turma D – Oficina - 10/6, 11/6 e 12/6 – das 19h às 22h.
Turma E –  Oficina - 17/6,  18/6 e 19/6 – das 15h às 18h
Turma F – Uma tarde na casa do poeta – 22/6 – das 14h às 20h (comidinhas incluídas)
 Julho/2013:
Turma G –  Oficina - 22/7, 24/7 e 25/7 – das 19h às 22h.
Turma H –  Oficina - 15/7, 16/7 e 17/7 – das 15h às 18h
Turma I – Uma tarde na casa do poeta – 20/7 – das 14h às 20h (comidinhas incluídas)

Local: Ateliê Ato Com Texto –
SEPS  705/905 sul - Edifício Mont Blanc, sala 210/204 - Brasília/DF
Telefone: (61) 9961.6971 (vivo) Solange Pereira Pinto

Pré-inscrição: sollpp@gmail.com

Investimento: Disposição para dialogar sobre poesia e experimentar seu processo criativo.  R$ 700,00 à vista ou parcelamento em 3 x R $ 250,00.

Facilitador: Nicolas Behr

MinibiografiaO poeta Nicolas Behr nasceu em Cuiabá, em 1958, e vive na capital federal desde 1974. Casado, três filhos, respira poesia e tem Brasília como um dos temas mais recorrentes do seu trabalho. Quando criança queria ser geólogo, arqueólogo ou historiador, mas foi redator publicitário e desde 1990 faz do seu viveiro de mudas nativas do cerrado, o Pau-Brasília, sua fonte principal de renda. Em 1977, publicou em edição mimeografada “Iogurte com farinha”, seu primeiro livro e até 1980 publicou mais 10 livrinhos mimeografados. Já teve o seu perfil biográfico traçado pelo jornalista Carlos Marcelo no livro “ Nicolas Behr – Eu Engoli Brasília”, publicado em 2004. A jornalista Gilda Furiati defendeu tese de mestrado no Instituto de Letras da Universidade de Brasília em 2007 sob o título: “Brasília na poesia de Nicolas Behr: idealização, utopia e crítica”, editada em livro pela Editora UnB em 2012. Em 2008, seu livro “Laranja Seleta – poesia escolhida – 1977 – 2007“, editado pela Língua Geral, foi finalista do Prêmio Portugal Telecom de Literatura. No ano seguinte, a cineasta Danyella Proença dirigiu o filme “Braxília”, (17 minutos ) um ensaio sobre a relação do poeta e sua cidade, ganhador do Prêmio Especial do Júri, no 43º. Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Em 2013, é um dos autores convidados da FLIP – Festa Literária  Internacional de Paraty e da Feira Internacional de Frankfurt (Alemanha). “Brasifa-me”, com 100 poemas enigmas, é seu trabalho mais recente. Bem-humorado, o poeta que “engoliu Brasília” reinventa a cidade sem deixar de dizer o que pensa. Saiba mais no site www.nicolasbehr.com.br 

Imagem inline 3POETA MARGINAL? EU, HEIN? Por Nicolas Behr

não nasci em montes claros. não tenho nome completo. não sou professor. não consegui conciliar nada com a literatura. nunca publiquei nada. atualmente não resido em porto alegre. não me chamo eduardo veiga. não escrevo poesia há mais de 15 anos. não estou organizando meu primeiro livro. não sou graduado em letras. não acredito que a poesia seja necessária. não estou concluindo nenhum curso de pedagogia. não colaboro em nenhum suplemento literário. não estou presente em todos os movimentos culturais da minha terra. não sou membro da academia goiana de letras. não trabalho como assessor cultural da sec. meus pais não foram ligados ao cinema. não tenho tema preferido. não comecei a fazer teatro aos 12 anos. não me especializei em literatura hispano-americana. não tenho crônicas publicadas n’o republica de lisboa. não passei minha infância em pindamonhangaba. não canto a esperança. não recebi nenhuma premiação em concurso de prosa e poesia. não tenho sete livros inéditos. não sou considerado um dos maiores poetas brasileiros. nunca fui convidado para dar palestras em universidades. não vejo poesia em tudo. não faço parte do grupo noigrandes. não me interesso por literatura infantil. não sou casado com o poeta afonso ávila. na minha estréia não recebi o prêmio estadual de poesia. o crítico josé batista nunca disse nada a meu respeito. não sofri influência de bilac. não sou ativo, nem dinâmico. não me dedico com afinco à pecuária. não sou portador de vasto curriculum. não recebi mensão honrosa no concurso de poesia ferreira gullar. não exerço nenhuma atividade docente, nem decente. não iniciei minha carreira literária no exército. não fui a primeira mulher eleita para a academia acreana de letras. não tenho poesias traduzidas para o francês. não estou incluído numa antologia a ser publicada no méxico. minha poesia não é corajosa. não gosto de arqueologia. walmir ayalla nunca me considerou um revolucionário. nunca tentei compreender o homem na sua totalidade. não vim para o brasil com 5 anos de idade. não aprendi russo para ler maiakowski. meu pai não é chileno. não sou virgem, sou capricórnio. não sou mãe de seis filhos. nunca escrevi contos. não me responsabilizo pelos poemas que assino. não sou irônico. não considero drummond o maior poeta da língua portuguesa. não gosto de andar de bicicleta. não sou chato. não sei em que ano aconteceu a semana de 22. não imito ninguém. não gosto de rock. não sou primo dos irmãos campos. não sou nem quero ser crítico literário. nunca me elogiaram. nunca me acusaram de plágio. não te amo mais. minha poesia nunca veiculou nada. não sei o que vocês querem de mim. não espero publicar nenhum romance. não sou lírico. não tenho fogo. não escrevi isto que vocês estão lendo.

Realização:Imagem inline 2      Imagem inline 1

Nenhum comentário:

Postagens mais acessadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Oficina de dobraduras